Ricardo Chreem
Ricardo Chreem

EU

RICARDO CHREEM

"Telas, tintas, confecção de bonecos, trabalho em espuma, instalações, palavras escritas, faladas, um livro, esquetes, trilhas sonoras. ɉ através de todas estas formas de arte que Ricardo Chreem expressa sua poesia desde 1989. Ele trabalha em busca de uma identidade contemporânea, preocupado em unir conteúdo, conceito e estética. Ricardo Chreem é um artista múltiplo, e une estas diferentes habilidades a serviço de uma cena contemporânea, investigando novas experimentações."

Bianca Ramoneda

Ricardo Chreem

Ricardo Chreem é ator, escritor, artista plástico, psicólogo e diretor.

Este carioca, formado em psicologia, é um artista múltiplo, em busca de uma identidade contemporânea, preocupado em unir conteúdo, conceito e estética. Iniciou sua trajetória na Escola de Artes Visuais do Parque Lage, em 1985, quando a tradicional instituição efervescia em torno da consagrada Geração 80. Ali, se especializou em instalações cênicas e desenvolveu uma série de bonecos de espuma, que resultavam em afiada sátira social. Com o tempo, as instalações ganharam movimento através de dispositivos mecânicos e Chreem passou a dirigir performances com atores, integrando-os aos trabalhos.

HISTÓRICO

  • A imobilidade Humana

    Em 1991, exibiu o trabalho "A imobilidade Humana - Instalações em espuma", no Pavilhão da Bienal, no MAC de São Paulo. Entre 1985 e 2001, foram inúmeras individuais e coletivas, além de performances realizadas no CEP 20000, tais como "Sobre a arte de atravessar paredes", quando estourava balões de ar cheios de farinha sobre si. Em outra proposta, no banheiro da lendária boate Dr. Smith, bailarinas acorrentadas jogavam cricket com cabeças de bonecas. E no extinto espaço Cinematheque, em Botafogo, o performer se desviava de bolinhas de papel jogadas pelo publico.

  • Performance Srs e Sras do Mundo

    Dirigiu e atuou na performance, ocorrida ao ar livre ou em cima do palco, no evento internacional chamado "Celebração da Terra na ECO 92, Utilizando textos que pregavam ideias de Reich, Lang e do próprio Chreem, a performance discursava sobre a questão da ecologia humana, de como não conseguimos nos autogovernar.

  • Sindrome de não ação

    Dando continuidade a exposição anterior, "A Imobilidade Humana", Chreem se aprofunda na temática e ilustra, através de cenas com bonecos em tamanho natural.

  • O sentido do absurdo

    Partindo do princípio de que há ordem na desordem, Chreem, nessa exposição, utiliza a espuma como material-base para a sua construção. São pequenas instalações, usando o quadro como suporte

  • 2000 menos nada

    Lançamento do livro que dará conteúdo a performance Dias Menos

  • Dormindo num incêndio

    Seguindo o conceito de exposições temáticas, Chreem inaugura na Casa de Cultura Laura Alvim, em Ipanema, no Rio de Janeiro, mais uma exposição em que a crítica social parece ter um peso importante.

  • Dias mais, Dias menos

    Ainda baseado em seu livro "2000 menos nada", concebe com Bianca Ramoneda, que o dirige, "Dias mais, Dias menos" , um solo-performance trágico-cômico, onde utilizou técnicas diversas que culminaram num resultado bem humorado e surreal sobre o cotidiano. Sucesso de publico se apresentou novamente no Teatro Gloria, e é convidado a retornar ao Teatro Sergio Porto no ano seguinte, quando repete o mesmo êxito junto ao publico.

  • Eu me recuso

    Convidado por Guilherme Zarvos e Chacal, do CEP 20.000 (Central de Experimentação Poética), Chreem fez esse work in progress no Espaço Cultural Sérgio Porto, no Humaitá

  • Sobre a arte de atravessar paredes

    Exposição "Sobre a arte de atravessar paredes", onde esculturas de resina penetravam na parede ou mergulhavam em quadros em acrílica.

  • Sobre a arte de se desviar de projéteis

    Convidado por Guilherme Zarvos e Chacal, do CEP 20.000 (Central de Experimentação Poética), Chreem fez esse work in progress no Espaço Cultural Sérgio Porto, no Humaitá

  • Síndrome do ator fóbico, um estudo sobre fobias

    Partindo da investigação da comédia, em atelier especifico para este estudo, construiu esse esquete, onde o medo de se expor em publico descortinava as fobias existentes. Atraves de um jogo, onde a plateia precisava adivinhar o que cada fobia representava, e que celebridade possuia quais fobias, ele se aproximava mais e mais da plateia.

  • A marcha dos abajures indignados

    É convidado pela direção do riocenacontemporanea a se apresentar no que seria a última edição de um dos mais expressivos festivais de teatro da cidade. Nessa edição, apresentou pelas ruas do Rio de Janeiro essa proposta irreverentemente surrealista, onde 25 atores vestiam cúpulas de abajur acesas e saiam em marcha pela cidade. Resultado dessa experiência resultou no curta "Marcha dos abajures.Doc" e "Marcha dos abajures -videografismos", editados em 2010, assim como ao curta-manifesto : "O manifesto dos abajures indignados".

  • The Floor Below

    Chreem fez o curso de direção em cinema no MetFilmSchool, em Ealling Broadway Studios, Londres, onde como trabalho de conclusão realiza o curta "The Floor Below", com atores ingleses.

  • Operação Tutano e outros

    Dirige o Thriller de suspense "Operação Tutano", para participação no programa "No amor" do Canal Brasil. Participa com o seu curta S.O.S. URB , entre os 4 primeiros vídeos a serem veiculados no Projeto "Globo a Mais ".

  • S.O.S URB

    Produz o curta S.O.S URB, um ensaio hiper realista experimental que propõe um questionamento sobre o tempo, a vida e a morte.

  • 4 curtas

    Lançamento simultaneo de 4 curtas na Casa de Cultura Laura Alvim. Com uma instalação com 20 cúpulas de abajures iluminados vestíveis, o saguão da Laura Alvin virou sala de espera para a projeção dos curtas inéditos como "Eu me recuso ao papel de abajur", fruto de um trabalho com a equipe do N.A.D.A. ( nucleo de animação e Design da PUC-RJ) , "Brain Storm", resultado do curso de direção no New York Film Academy, em N.Y., com atores ingleses, italianos, turcos e brasileiros, "S.O.S. URB" curta hiper realista lançado pelo o portal do jornal "O Globo" e "O que é um ator?", um curta-doc experimental sobre o ofício dos atores, utilizando videografismos e entrevistas com artistas. Direção, atuação, música e narraçao de Ricardo Chreem.
    Clique nas imagens abaixo para ver os cartazes


"No cinema, eu consigo unir algumas habilidades que antes achava que me dispersavam, como fazer muitas coisas ao mesmo tempo, compondo trilhas, escrevendo, atuando, mexendo com artes visuais. Todos vinham com o discurso de que para fazer algo bem, vc dever se dedicar somente a uma coisa, mas eu resistia. Hoje, com o cinema, consigo convergir muito do que sou."

Ricardo Chreem


FILMES

FILMES

CURTAS / REGISTROS / ENSAIOS ÁUDIO VISUAIS


"Cinema de 'resistência' porque proponho um cinema autoral, que se aprimora ao longo do processo e não se inviabiliza à espera das condições ideais para filmar. Nesse sentido, independente, mas com conteúdo e forma consistentes:"

Ricardo Chreem


CLIPPLING

CLIPPLING

Ricardo Chreem nas mídias

CONTATO

CONTATO

Preencha o formulário abaixo e clique em enviar.

Por favor, digite seu nome
Por favor, digite seu email
Por favor, digite a mensagem